Institucional

Seminário de Tecnologia Educacional: veja os destaques do evento

0
Seminario de Tecnologia Educacional
Foto: Rafael Kuhn

Nesta quarta-feira, 12, foi realizado o 11º Seminário de Tecnologia Educacional do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp). O evento reuniu primordialmente profissionais da área de tecnologia da informação em São Paulo, na sede do Semesp.

Na programação, o seminário trouxe discussões sobre as aplicações da tecnologia de Blockchain nas instituições de ensino superior, o que muda na prática com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os desafios de um Chief Information Officer (CIO) dentro de uma IES. Além de uma reflexão sobre o novo ecossistema de TI nas IES.

Destaques do Seminário de Tecnologia Educacional:

Ecossistema de TI nas IES

O primeiro painel do evento foi justamente sobre o ecossistema de TI nas Instituições de Ensino. Foi debatido qual o relacionamento e os desafios com IES, gestores, coordenadores e alunos.

O ponto de destaque do painel foi o papel da tecnologia em apoiar a estratégia da IES. É ponto fundamental que a instituição defina sua estratégia antes da compra da tecnologia apenas pela compra. Desse modo, este tipo de situação acaba resultando em um processo não tão assertivo de implantação dos projetos.

Antes de implantar uma tecnologia de educação bem feita, é necessário que o básico esteja funcionando. Por exemplo, uma internet rápida, estável e uma infraestrutura de servidores a medida do que necessita a IES.

Rafael Kuhn, diretor de Edtech do Grupo A, foi um dos painelistas neste momento do evento e utilizou de sua expertise na área da educação e tecnologias para destacar que não é uma evolução tecnológica, é uma transformação. Não adianta tentar colocar a aula do presencial à força dentro de um modelo EAD baseado em tecnologia, que não vai funcionar, os resultados não serão bons. Ao propósito que o conteúdo EAD não segue o mesmo formato e dinâmica que uma aula presencial, isto acaba afastando os alunos e engajando pouco estes estudantes nas atividades.

Um participante do evento comentou sobre comprar uma tecnologia que pode dar problema durante o uso, o que pode resultar em ter mais dores de cabeça após a implantação do que teria antes da compra.

De acordo com Rafael: “não deveria ser uma surpresa para quem comprou este tipo de situação. O ato de abrir a solução e descobrir que não atende tão bem assim suas necessidades. No mundo ideal se deveria antes da compra ter acesso a ferramenta para fazer uma avaliação e aí sim investir em uma estratégia que faça sentido para IES e para a necessidade”.

Blockchain

Em seguida, foi discutido o que vem de novo com o Blockchain. Desde o conceito e aplicação nas diversas áreas da IES, até quais são os benefícios, desafios e se os fornecedores estão prontos para este momento. A participação foi de Rodrigo Marudi, Coordenador de Projetos de Tecnologia da UNIFEOB.

A blockchain é uma tecnologia de registro de dados e transações. Com o fim da descentralização como medida de segurança. Isso ocorre a partir de registros e dados compartilhados que têm a função de criar um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado setor ou mercado.

LGPD

O painel seguinte foi sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), as diferenças, os impactos e os desafios com a mudança. Foi discutido o que muda na área de TI e na IES. O palestrante foi André Nishida, Coordenador de Sistemas na Faculdade São Leopoldo Mandic. Posteriormente, houve também uma discussão outros painelistas, dentre eles Rafael Kuhn, diretor de EdTech do Grupo A.

A Blackboard e Symplicity por acompanharem a GTPR já estão bem mais prontas.

Quero saber mais sobre como o Grupo A pode me ajudar em LGPD!

Dessa maneira, o Grupo A criou um comitê multidisciplinar de LGPD. Nele está representado jurídico, tecnologia e todas as áreas de negócio envolvidas e representadas. A empresa já acabou o mapeamento de dados, entre dados sensíveis e pessoais. Agora o que está em curso é o mapeamento de processos. A expectativa é que o Grupo A esteja pronto para LGPD em agosto de 2020, independente da lei ser adiada ou não.

Embora, este adiamento, caso ocorra, de acordo com Kuhn “pode prejudicar o Brasil por não estar seguindo a tendência mundial de LGPD. Uma vez que queremos entrar em associações comerciais, que exigem que estejamos alinhados a lei”.

Papel do CIO

Por fim, o evento encerrou com o painel sobre a vida do CIO. Os pontos conversados foram, em resumo, desde o dia a dia de um CIO dentro da IES até como este profissional está se preparando frente a tantas transformações. A palestrante foi Danielle Rodrigues, COO da UNIFEOB.

O Grupo A comemora mais um ano de parceria com o Semesp neste último evento de 2019. Do mesmo modo, esperamos que em 2020 tenhamos ainda mais discussões pertinentes. Por consequência, encontros para tratar das tendências em educação e tecnologia.

Leia também:
:: Grupo A no CIAED: soluções para ensino híbrido ganham destaque
:: Jornada Regional do Semesp discute captação de alunos e panorama educacional

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.