Educação

Quando Out é In

0

*Por Cristina Ustárroz

Juro que não queria escrever sobre a Copa. Mas acabei me rendendo ao nervosismo que se agiganta minuto a minuto e decidi entrar de sola no assunto. A esta altura do campeonato, escrever sobre o quê? Alguns meses atrás, torcer pela nossa seleção era out. Hoje é in. E criticar o país era in. Hoje é out! Muito out!

Devo avisar, no entanto, que sou do tipo de torcedora que tem medo de todos os times. Ninguém é bola murcha em copa do mundo. Quando menos se espera, os mortos ressucitam e passam a bater um bolão. E, que fique registrado, minhas únicas convicções sobre esse evento são: primeira, o de preto é o juiz; segunda, os uniformes dos times são muito in.

Você sabe o que mais é in? Out é in. Não a preposição out. O prefixo out-. Ele é in porque, acrescentado a verbos, significa exceder, superar, vencer. Quer ver? Espero que nossos jogadores corram mais do que os outros. Não só isso: espero que deixem os outros para trás. Correr mais? Você já conhece to run. Acrescente out- e diga to outrun. E que a nossa torcida grite mais alto do que a dos outros. Gritar mais alto? To shout! Acrescente out- novamente e grite: to outshout! Não é in esse out?

Espero que o Brasil jogue melhor do que as outras seleções. Jogar melhor? To outplay. Como em time que está ganhando não se mexe, as jogadas da nossa seleção irão exceder as jogadas dos outros times. Exceder? To outdo. E nossos jogadores irão lutar mais e melhor. Lutar mais e melhor? To outfight. Viu que fácil?

Espero que nosso meio-campo pense mais estrategicamente do que o meio-campo alheio. Pensar mais estrategicamente? To outthink. E que nossos atacantes façam mais gols do que os outros. Superar em número de gols ou pontos? To outscore! E que nosso goleiro supere o goleiro adversário em bravura. Superar em bravura? To outbrave. É bola rolando!

Espero que não sejamos nós a tirar o time de campo. E que a gestão do Felipão seja melhor do que a gestão dos técnicos do outros times. Lembra de coach? Pois diga to outcoach. E que nossos jogadores cerquem os jogadores adversários. Cercar? Levar vantagem? To outflank. E que possamos superar o rival. Eu disse superar? Perdão, eu quis dizer superar e ofuscar. To outrival and to outshine. Se depender de mim, não tem pra mais ninguém!

E se algum jogador do time adversário for expulso, nosso oponente ficará em desvantagem, pois seremos mais numerosos. Acertou: to outnumber. E que possamos eliminar os adversários um a um. To outmatch. E que, quando finalmente tivermos vencido a todos na competição – to outcompete – possamos cantar nosso hino mais alto. To outsing. Eu disse cantar? Perdão eu quis dizer rugir mesmo. Esbravejar! E bem alto: to outroar!

Como você pode ver, não quero pouco: espero que a nossa apresentação em campo seja melhor e mais bonita do que a dos outros. Adivinhou? To outperform. Espero também que nossos jogadores virem verbos. Tipo to outhulk e to outfred – é o Hulk e o Fred se superando!

Juro que não queria escrever sobre a copa. Mas mesmo com tanta indignação e tão pouco brasileiro falando inglês só nos resta valorizar o espírito esportivo e mostrar o que temos de melhor, dentro e fora de campo. In é vestir a camisa! In é torcer! Com emoção! In é sairmos desta peleja mais espertos. Sabe o que é out? Out é esquecer. De como o país estava antes da copa, por exemplo. Isso, sim, é out. Muito out!

Notas altamente esclarecedoras

  • O prefixo out- significa superar ou exceder e pode ser acrescentado a verbos como mostrei no texto acima, inclusive a nomes próprios, para um efeito mais personalizado e ainda mais, digamos, superlativo. Infelizmente, esse efeito não pode ser obtido através de qualquer nome próprio – to outdavidluiz não daria muito certo porque esse nome é muito longo. Por isso, escolhi o Hulk para ilustrar a situação. To outhulk ficou show de bola!
  • Realmente espero que depois da copa sejamos mais espertos do que antes dela: to outsmart ourselves. Aqui vão outros exemplos: to outvote (vencer alguém em número de votos), to outspend (exceder alguém em gastos), to outsell (exceder alguém/algo em vendas).

    Curiosidade: você sabe por que os americanos não possuem tradição no futebol? Seja por não saberem pronunciar nomes estrangeiros escritos com til, trema, ou cedilha, o fato é que os americanos preferem esportes com escores altos.  Eles acham que não vale a pena assistir, por 90 minutos, a um jogo que pode inclusive terminar em 0 x 0. Mas o futebol está caindo no gosto dos americanos. Um dia, quem sabe, eles ressucitam!

*Cristina Ustárroz é a professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A. Ela escreve mensalmente para o BlogA.

Cristina Ustárroz
A professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A.

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.