Educação

Publishers e Editors

0

*Por Cristina Ustárroz

Estávamos comemorando o aniversário de um parente querido, que abria seus presentes com a avidez de quem devora pipoca no cinema. Ao vê-lo arrancar o papel que embrulhava um livro, reconheci o selo da editora. Foi quando pulei da cadeira: “Este livro da Artmed é bárbaro! Procura aí dentro o nome da editora!“ Pra quê!!! Recebi uma enxurrada de ”Hein?“, “Como assim?“, “Bebeu?“ e “O nome da editora não é Artmed?“ Com o entusiasmo de  sempre, respondi.


[Fonte: Blog Habitantes da Estante]

Acontece que editora é a corporação responsável pela impressão, distribuição e comercialização de publicações digitais ou impressas. Mas também é a pessoa, mais especificamente a profissional – do sexo feminino – que supervisiona, revisa e corrige um texto para publicação. Enfim, aquela que edita! Daí a confusão. Em inglês a distinção entre esses dois significados é reforçada pelos vocábulos publisher e editor. A empresa e seus donos são os publishers. A profissional que gerencia todas as etapas de uma publicação chamamos de editor

Neste caso, os gringos que estudam português se deram bem. Afinal, duas palavras deles equivalem a somente uma nossa: publisher / editor = editora! É matar dois coelhos com uma cajadada. É como estar dirigindo em uma estrada e chegar a um estreitamento de pista. O que era dois ficou reduzido a um! Sem chance de errar. 

É sob a ótica do falante de língua portuguesa que a coisa realmente complica. Em vez de dois coelhos, ficamos com dois cajados na mão. E meio coelho! No lugar do estreitamento de pista, subitamente aparece uma bifucarção em Y. Se soubermos somente uma das duas palavras palavra teremos 50% de chance de empregá-la em um contexto errado. É muita margem de erro! Quer ver?


[Fonte: Rosteck]

Responda rapidamente: como se diz assinatura em inglês? Se você respondeu signature, contemplou apenas parte da pergunta. Uma perninha da bifurcação. Assinatura é signature quando se refere à ação de assinar, de escrever o nome de forma única e original em um documento, por exemplo. Mas e se o que tenho em mente é a assinatura de uma revista? Ou de um jornal? Da TV a cabo? Esse tipo de assinatura é subscription. Eis a outra perninha! Uma edição somente para assinantes? Subscription edition. Renovar sua assinatura? Renew your subscription

E como se diz perder? Você sabe por que dizemos lose the keys e miss the flight? É que o verbo miss é usado no sentido de perder uma oportunidade, perder um evento, perder o ônibus. Você não estava lá quando eles aconteceram. Perdeu, merrmão! You miss an opportunity. You miss an event. You miss the bus. Já lose significa perder um objeto ou algo que possuimos. Perder peso? Lose weight! Perder dinheiro? Lose money. Perder o emprego? Lose the job. Lose também é antônimo de vencer: perder o jogo, perder uma batalha. You lose a game, you lose a battle. Ficou perdido? Don´t get lost

Situação semelhante diz respeito à palavra noiva. Se a noiva em questão é a que vem toda de branco, diga bride – ♪here comes the bride♫. Mas se for noiva no sentido de noivar, firmar compromisso, diga fiancée. Assim, com acento e dois ee. Vem do francês – oui mademoiselle! O mesmo vale para noivo: o do altar é bridegroom. Ou apenas groom. O do noivado é fiancé! É o francês marcando forte presença no vocabulário inglês. 

Aliás, a palavra casamento, quando empregada no sentido de relacionamento duradouro, é marriage. Mesmo que não seja tão duradouro assim.  Já cerimônia de casamento, vestido de casamento, bodas de casamento, dia do casamento, enfim, é wedding cerimony, wedding dress, wedding anniversary, wedding day. Bolo de casamento? Wedding cake! Entendeu? Wedding!


[Fonte: Business Inside]

Falando em bolo, e receita? A do chef é recipe. A do médico é prescription. E esse tal de anniversary? Não era birthday? É que um se refere ao dia do nascimento de uma pessoa, enquanto que o outro é usado para falar do aniversário de casamento, da comemoração de fundação de uma empresa, ou da morte de uma personalidade histórica ou famosa. Essas coisas!  

Último? Depende! Se você tiver em mente o útimo soneto que Shakespeare escreveu, diga last. Mas se você estiver se referindo ao último CD do U2, o mais recente, então diga latest. Sentiu a diferença entre os vivos e os mortos? 

E usar? Se for roupa ou acessórios como jóias, relógios, óculos e perfume diga wear. Se for usar no sentido de usar uma caneta, por exemplo,  diga use I will use a pen to write my signature. Lembra de signature?

A propósito, nesta mesma categoria está o verbo lembrar: remember! Significa recordar, trazer à lembrança. Mas sabe quando a gente diz “me lembra de comprar pão na volta?“ Pois é! Este “me lembra“ não deve ser traduzido como remember. É aí que entra o verbo remind. Quando um fator externo – uma pessoa, um lugar, um aroma – nos faz lembrar de algo, dizemos remind. Lembre-me de dizer isso ao meu aluno particular. Please remind me!

Eu disse particular? Pois aula particular é private class, aluno particular é private student e escola particular é private school. Mas a palavra private é eventualmente traduzida por privado/privada, o que aumenta o número de expressões – empresa privada é private company e propriedade privada é private property. Bom mesmo é uma festa privada: private party! Agora, se estivermos falando da locução adverbial em particular, diga in particular. Ou apele diretamente para o advérbio particularly

Ocasionalmente encontramos não uma bifurcação, mas um verdadeiro tridente dos deuses. Sabe política, a ciência? Diga politics. Já política, a pessoa, é politician. E política de uma empresa? Policy. Uma, duas, três perninhas! Que tal? Mas sabe qual é o campeão em perninhas? A palavra crítica! A crítica sobre o comportamento de alguém é criticism. A crítica publicada nos meios de comunicação sobre literatura e cinema, por exemplo, é review. Ou critique. Ainda, a pessoa que critica por profissão, o formador de opinião, é critic. E se você estiver se referindo ao adjetivo crítica, diga critical. Como em critical analysis e critical thinking. Quanta crítica, não?

Por fim, a dobradinha do e make! A regra dá conta que make tem a ver com construir, criar ou preparar alguma coisa, e do é usado quando nenhum objeto é produzido. Vamos conferir? Fazer o tema é do the homework! Fazer um barulho é make a noise! Fazer o exame é do the exam! Fazer um plano é make a plan! Fazer um favor? Do a favor! Fazer uma escolha? Make a choice! Sei, não! Acho que a única coisa que se criou aqui foi a dúvida! Pois esqueça a regra e decore as expressões – diga memorize. Porque se você disser decorate as pessoas vão pensar em glitter, fitas coloridas e coisa e tal.

 Quando conhecemos as duas palavras da bifurcação, damos fim à margem de erro. Então não perca tempo! Com ele surgem mais perninhas! Entre saber e não saber, fique com a primeira opção. Mas eu disse entre? E agora? Between ou among? Só não faça como o bagual, que, tendo em mente a expressão de boas-vindas típica do pampa gaúcho “Entre no más!“, exclamou “Between no more!“ Isso nem grandes publishers podem consertar. Perdão, eu quis dizer editors

Notas altamente esclarecedoras

O nome do(a) editor(a) responsável pelo livro se encontra na folha de rosto.

Obviamente há editores, mas a confusão se dá com a forma feminina “editora”.

Miss também significa errar. Errar a questão? Miss the question. Errar em bola? Miss the ball. Sem contar que miss também quer dizer sentir falta de algo ou alguém. É a palavra mais próxima de saudade: I miss you! Ainda, miss é senhorita, como em miss Potter e Miss Brazil. Neste caso, miss é um substantivo. 

Lose it significa ficar lelé da cuca. Fora da casinha! Don´t lose it!

Here comes the Bride é o título da marcha nupcial de Wagner.

A preposição entre, em inglês, desdobra-se em between (entre dois objetos/duas pessoas…) e among (mais de dois objetos…). Já entre, do verbo entrar, é traduzido por come in.

Quer saber mais sobre palavras francesas inseridas no léxico inglês? Leia o texto Afrancese-se publicado em março de 2013 aqui no blogA.

 

*Cristina Ustárroz é a professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A. Ela escreve mensalmente para o BlogA. 🙂

Cristina Ustárroz
A professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A.

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.