Sem categoria

Entenda mais sobre a psicologia comportamental/behaviorismo

0

A psicologia comportamental/behaviorismo é o conjunto de diversas teorias nas quais o objeto de estudo é o comportamento. Essa escola foi fundada por John B. Watson com base na crença de que as condutas humanas são mensuradas, treinadas e alteradas a partir das condições a que o sujeito é submetido.

Os estudos que originaram a teoria foram publicados inicialmente na obra “A psicologia como o behaviorista a vê” (1913), de autoria de Watson. Depois surgiram outros expoentes que acreditavam ser o comportamento o resultado de estímulos, como Ivan Petrovich Pavlov, o qual desenvolveu a técnica do condicionamento clássico.

Neste post, vamos abordar os tipos de psicologia comportamental/behaviorismo e indicar obras para você se aprofundar no assunto. Veja!

Quais os tipos de psicologia comportamental/behaviorismo?

Embora inexista um jeito único de categorizar a psicologia comportamental/behaviorismo, há algumas divisões que merecem destaque. Saiba quais são elas!

Behaviorismo clássico

O behaviorismo clássico provém do fundador da teoria e, portanto, tem enfoque no comportamento observável, ou seja, em qualquer mudança no indivíduo ocasionada por determinado estímulo ambiental. Aliás, qualquer resposta do sujeito é associada a um impulso vindo de fora, e não a uma provocação mental.

Chamado também de behaviorismo metodológico, ele apresenta a psicologia como um campo das ciências naturais, o qual desconsidera os processos da mente, como os sentimentos e os pensamentos, e cujo fim é antever e manter sob controle o comportamento. Porém, outras teorias surgem posteriormente para suplantar essa ideia.

Neobehaviorismo mediacional

Se o behaviorismo clássico é baseado no modelo estímulo-resposta, o neobehaviorismo mediacional proposto por Edward C. Tolman entende que há uma variável mediadora entre essas duas pontas e, assim, apresenta o esquema estímulo-organismo-resposta. Logo, a variante do meio interfere no comportamento, segundo essa teoria.

Tolman afirma que o organismo passa por eventos (os quais ele chama de variáveis intervenientes) e, ao analisar o comportamento, ele leva em conta os processos mentais, como a memória e a cognição. O pesquisador Clark L. Hull trabalha nessa mesma linha, mas, para ele, as variantes mediacionais são puramente neurofisiológicas.

Behaviorismo radical

Autor do livro “Ciência e comportamento humano”, publicado em 1953, Burrhus F. Skinner é considerado o expoente do behaviorismo radical. Para ele, as causas comportamentais não estão relacionadas à mente, embora não a rejeite. O pesquisador também defende que o ser humano é uma entidade única, portanto, inexiste divisão entre corpo e pensamento.

Segundo esse tipo de psicologia comportamental/behaviorismo, o condicionamento operante acontece por meio de reforços e punições, estando o comportamento associado a uma consequência. Nesse sentido, algumas condutas se repetem com frequência, enquanto outras são menos prováveis de ocorrerem de novo no futuro.

O behaviorismo radical acredita que o comportamento seja influenciado:

  • por fatores biológicos e hereditários (nível filogenético);
  • pelo histórico de vida de cada indivíduo (nível ontogenético);
  • pelos aspectos culturais (nível cultural).

Skinner diz que os padrões comportamentais se modificam conforme o meio, mas que o ser humano também provoca mudanças no ambiente.

Quais as obras recomendadas para se aprofundar no tema?

Conheça, a seguir, algumas das principais publicações que versam sobre psicologia comportamental/behaviorismo e aprofunde-se nesse assunto!

Compreender o behaviorismo

Escrita por William M. Baum, a obra “Compreender o behaviorismo” (Artmed, 2019) é uma referência na área e aborda a base do comportamento e sua relação com os problemas humanos de maneira ampla e acessível a partir da nova perspectiva evolutiva.

Genética do comportamento

Em “Genética do comportamento” (Artmed, 2010), Robert Plomin e outros pesquisadores tratam das questões comportamentais sob o ponto de vista genético, apresentando aos estudantes de Psicologia, Biologia e Ciências Sociais informações básicas sobre o tema.

Terapia cognitivo-comportamental

De autoria de Judith S. Beck, o livro “Terapia cognitivo-comportamental” (Artmed, 2013) traz os fundamentos da técnica e importantes inovações sobre a prática. Entre os pontos abordados, estão a relação terapêutica e a ativação do comportamento.

Agora você sabe o que é psicologia comportamental/behaviorismo, quais os tipos e as principais obras escritas sobre o assunto. Se tiver interesse em ampliar o seu conhecimento nessa área, vale muito a pena adquirir as publicações que abordam o tema para se tornar um profissional mais preparado e bem-sucedido.

E então, este post esclareceu suas dúvidas a respeito do behaviorismo? Aproveite a visita e curta a nossa página no Facebook para ficar por dentro de outros conteúdos como este!

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.