Educação

Pasta, Anyone?

0

Por Cristina Ustárroz*

Professora, como se diz pizza em inglês? Pizza! E como se diz fiasco em inglês? Fiasco! E replica? Replica! Professora, tu tá de brinqueichon uite me! Nada disso, caro aluno! É que pizza, fiasco e replica, assim como centenas de outras palavras italianas, foram incorporadas no léxico da língua inglesa. Sabe como isso aconteceu? Através dos imigrantes! E eles vieram de mala cheia! Capisci?

italian-american-flags

Por volta de 1870, a Itália enfrentava uma crise daquelas: PIB despencando, dólar subindo e inflação disparando. Tudo isso somado a uma corrupção desenfreada. Mi scusi! Acabei de descrever a crise no Brasil. Mas a realidade lá não era muito diferente: salários baixos e impostos elevados. Quer saber o season finale? Imigrantes italianos debandaram para la Merica. Ecco!

Apesar da maioria deles ter escolhido o Brasil e a Argentina antes disso, muitos partiram para os Estados Unidos, atraídos por melhores condições de emprego em áreas industrializadas. De 1820 até 1978, mais de 5.000.000 italianos que falavam aos berros tornaram-se ítalo-americanos que falavam aos berros. Bravo!

im_not_yelling_im_italian_drinking_glass

Só que os maledetti mal sabiam que teriam que sair no tapa com irlandeses e alemães, que já tinham se aboletado na terra do Tio Sam, a fim de disputar os trabalhos mais satisfatórios nas fábricas. Contudo, tanto os pinguços da Guinness quanto os da Hofbräu Original eram peixe pequeno perto da competição acirrada que estava por vir entre famílias asiáticas e russas sobre o crime organizado – maledizione!

A verdade é que a chegada de tantos imigrantes representou um grande desafio para o governo americano, principalmente pela sua reputação de anarquistas. Afinal, como confiar em quem cobre de plástico o sofá da sala? Como acreditar em quem consegue cozinhar para mais de 100 pessoas? Pior, como crer em quem fala com as mãos? Maledetti!

Muito foi feito para apagar o estereótipo de que italianos eram tutti mafiosi cujo objetivo era cruzar o oceano e dar fim à raça anglo-saxã. Mas o fato é que as imigrações impulsionaram o crescimento das organizações mafiosas, sim – mamma mia!

E assim cresceu o preconceito contra estrangeiros em geral, pois além de temer um estado anárquico institucionalizado, os americanos também temiam por seus empregos. Com tantos obstáculos no caminho para a felicidade, vários italianos preferiram trilhar o caminho do crime, construindo uma reputação que persiste até hoje. Ou você achava que os imigrantes eram tutti buona gente?

Al Capone, por exemplo! Ele possuía uma complexa rede criminosa que ficou ativa até 1931. E se você pensa que os mafiosi concentravam seus crimes apenas em Chicago, não se iluda: de New York até a California nenhuma barreira geográfica os detinha. Na verdade, nenhuma barreira. Ponto! Era como se o país inteiro estivesse dominado pelo elenco de The Godfather. Chamem o consigliere!

Nem mesmo a Lei Seca barrou os mafiosi, que dirigiam seus negócios ilícitos com cartas marcadas. Pelo contrário. A venda de bebidas alcoólicas por debaixo dos panos simplesmente triplicou. O contrabando e a produção clandestina popularizaram palavras como bootlegging e gang fighting Dio mio! Além de vários xingamentos. E badda-bing-badda-boom.

raf,750x1000,075,t,101010-01c5ca27c6

Todo esse movimento gerou um imenso impacto no idioma, e desde então a língua inglesa exibe várias palavras de origem italiana. Na política, ballot, fascism e ghetto enriquecem o vocabulário de qualquer um. Não sabe o que é ballot? É a cédula eleitoral. Não se esqueça de que a votação não é eletrônica nos Estados Unidos. Caspita!

Com relação a políticos ítalo-americanos vale citar Rudolph Giuliani (ex-prefeito de Nova York) e Geraldine Ferraro (primeira mulher a concorrer como candidata ao cargo de vice-presidente dos Estados Unidos em 1984). E sobre o escritor Nicoló Machiavelli veio a expressão Machiavellian. Maledetto!

Já a terminologia da música e da dança ecoa palavras como maestro, cello e opera. Já sei, você ouve essas palavras e fica pianinho, não? Perdão! Eu disse pianinho? Eu quis dizer pianissimo, adagio e allegretto. Alguns expoentes nessa área são Tony Bennett, Frank Sinatra e Liza Minnelli. E parli piano, per favore!

No cinema, brilham palavras como studio e cameo. Sabe o que significa cameo? É aquela pequena participação de um artista especialmente convidado para fazer uma ponta em um filme. E a lista de profissionais na arte cinematográfica é longa: Martin Scorsese, Al Pacino, Robert De Niro, Sylvester Stallone e John Travolta. Maledetti!

Tem também Joseph Barbera. Não tem a menor ideia de quem ele é? E se eu disser que ele trabalhou com o americano de origem escocesa William Hanna? Hello? Hanna Barbera! Você não teve infância? Maledetto!

As artes traçaram chiaroscuro, paparazzi e belvedere. O teatro ostentou imbroglio, burlesque e grotesque. Da literatura veio motto. Que significa slogan. Cada estado americano tem um. O de New York é Excelsior e o do Alaska é North to the Future. Procure você o motto dos outros 48 estados. Caspita!

Mas é pela mão da mamma, digo, da gastronomia italiana que o léxico do inglês engrossou. Literalmente, pois cappuccino, fettuccine, cannelloni, macaroni, spaghetti, panini e salami engrossam a circunferência abdominal de qualquer um – leave the gun, take the canoli!

italian

Com relação a vestuário, stiletto e umbrella desfilam elegância. E a geografia inseriu marina e riviera, além de lugares que foram batizados com os nomes dos exploradores: America por causa de Amerigo Vespucci e Colombia para honrar Christopher Columbus. Ou devo dizer Cristoforo Colombo? Maledetto!

O universo financeiro arrecadou bank, bankrupt e capitalism. O submundo do crime interceptou casino, mafia e vendetta. A religião abraçou christian, cross e confetti. O do carnaval!

Já a ciência importou belladona, malaria e medico. Algumas palavras tiveram sua origem nos nomes de cientistas. É o caso de Fermium, por causa de Enrico Fermi; Galvanic, de Luigi Galvani; e Volt, para honrar Alessandro Volta. Maledetti!

Nos esportes, ninguém vai esquecer Joe Dimaggio (jogador de baseball) e Rocky Marciano (campeão peso-pesado de boxe). Outras palavras que viajaram na bagagem dos imigrantes foram inferno, pronto e regatta.

Apesar das organizações mafiosas abrigarem outras nacionalidades, é nos italianos que pensamos quando falamos da Cosa Nostra, e mesmo que Al Capone fosse de longe o capo di tutti capi, ele não era o único. Adivinhe o que os seguintes nomes próprios têm em comum: Lucky Luciano, Donald The Wizard of Odds Angelini, Michael Dumdum Biancofiore, Paul Big Pauly Castellano, Jackie The Lackie Cerone, Salvatore Pizza Guy DeLaurentis, John No Nose Difonzo e Johnny Apes Monteleone.

Se você respondeu que são todos italianos, bingo! Acertou na mosca! Se você respondeu que são todos mafiosi, acertou novamente. Agora, se você está se perguntando como esses gangsters tocavam o terror com esses apelidos engraçados – e ridículos -, aí você me pegou! Caspita! Maledetto! Arrivederci!

Notes on the Note

  • Minha tradução de Pasta, Anyone? seria Alguém Aí Quer Macarrão?
  • Capisci significa entende; mi scusi é o equivalente de excuse me ou pardon me; maledetti é o equivalente de cursed; maledizione é o equivalente de curse ou damn it.
  • Consigliere (consiglieri no plural, equivalente de counselor) é o conselheiro do chefe da máfia, um amigo de confiança, que pode representá-lo em reuniões com outras famílias do crime organizado.
  • Lei Seca (Prohibition Era) foi uma lei federal que entrou em vigor nos Estados Unidos em 1920 proibindo a produção, transporte e comercialização de bebidas alcoólicas. Essa proibição foi um tiro no pé do governo americano, pois os mafiosos passaram a controlar a produção, transporte e comercialização de bebidas no mercado negro. Policiais e políticos corruptos ficaram nas mãos dos gangsters. O Congresso americano aboliu a Lei Seca em 1933.
  • Bootlegging descreve o contrabando de bebidas alcoólicas escondidas dentro dos canos das botas dos contrabandistas.
  • Badda-bing-badda-boom é uma expressão que remete ao barulho de tiros e explosões.
  • Caspita é uma interjeição que exprime surpresa.
  • Nicoló Machiavelli é considerado o fundador do pensamento político moderno.
  • Parli piano, per favore é o equivalente de speak slowly, please.
  • A dupla Hanna Barbera criou The Jetsons, The Flintstones, Tom & Jerry, e Yogi Bear, entre outros.
  • Cannoli siciliani (cannolo no singular e cannoli no plural) é uma sobremesa de massa doce frita em formato de tubo recheada com ricota ou mascarpone, baunilha, pistache, chocolate, frutas cristalizadas, vinho Marsala e limão siciliano. Leave the gun. Take the cannoli (Abaixe a arma, pegue o cannoli) é uma frase do filme The Godfather (O Poderoso Chefão), de 1972.
  • La Cosa Nostra é o nome das organizações criminosas da máfia.
  • Capo di tutti capi significa the boss of all bosses.

 

* Cristina Ustárroz é a professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A. Ela escreve mensalmente para o BlogA.

Cristina Ustárroz
A professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A.

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.