Educação

Na Riqueza e na Pobreza

0

*Por Cristina Ustárroz

Se eu tinha uma única certeza sobre a Copa do Mundo era a de que nós, os anfitriões, seríamos os únicos que não precisariam fazer as malas. No futebol, voltar para casa mais cedo é sinônimo de derrota. Frequentemente, de derrota vergonhosa. Não se espera que os derrotados cantem ♫ Eu tô voltando pra casa outra vez! ♪  Menos, gente! Menos!

Mesmo no caso de um fracasso, é sempre bom voltar para casa. Volta-se para o que é possível. Para o que é familiar. Os ingleses, por exemplo! Voltaram para os seus fish and chips. Os australianos, por outro lado, voltaram para o seu meat and potatoes – ou o que for mais parecido com o nosso despretencioso feijão com arroz! Mandando hugs and kisses! XOXO, para os mais chegados!

Os italianos retornaram para suas macarronadas down and out. Sabe o que é isso? Na pior! E os espanhóis regressaram à Península Ibérica dead and buried. Mortinhos da Silva! Portugal simplesmente partiu de bag and baggage – de mala e cuia mesmo! E os koreanos voltaram como chegaram: skin and bones! Só pele e osso!

Que a Rússia não tenha voltado ao hammer and sickle! Lembra da foice e o martelo? Pois é! Foi-se! E o Uruguai voltou para o abraço caloroso dos compatriotas. Nada de deixar seus atletas high and dry. O país não virou as costas para seu time. Live and learn!

Nas arenas, alguns atacantes se estranharam como gato e rato – cat and mouse. Outros agiram como se fossem high and mighty – os reis da cocada preta. Alguns poucos jogaram de modo mais duro – rough and tumble. Ou no total improviso – rough and ready! Outros, ainda, entraram em campo armed and dangerous – armados e perigosos. Até os dentes, diga-se de passagem!

Alguns jogadores eram tão diferentes quanto chalk and cheese. Ou como água e vinho. Falando em cheese, o que dizer do jogo da França? Neither here nor there. Tipo não fede nem cheira! E muitas vezes o juiz parecia deaf and dumb. Isso mesmo: surdo e mudo. Quando não era blind! Cego!

Durante as disputas no mano a mano, a expectativa de que os jogadores emergissem safe and sound!  Ao fim de cada corpo a corpo, o alívio de ver os vencedores alive and kicking. Protegidos do perigo! Home and dry! Respirar normalmente? Somente até o próximo jogo.

Não tem poker face no futebol brasileiro. Tem face to face! Eye to eye! E side by side! Mas futebol é mais do que isso: é tit for tat – olho por olho, dente por dente. É não se deixar abalar, não se deixar perturbar. É pesadelo de uns, sonho de outros.

Futebol é criar a oportunidade independentemente da circunstância. Ou apesar dela. É resolver o problema em uma fração de segundos. Ou vai ou racha! Sink or swim!. Não tem choro nem vela! É heads or tail.

É passar a bola para quem estiver melhor posicionado – step by step! É multiplicar talentos – bit by bit! É briga de cahorro grande – dog eat dog! Sabe o que amortece a queda? O respeito do vencedor ao vencido. Sabe o que conquista a torcida? O fair play! A troca de flâmulas apequenou-se. Now or never? O nunca é agora!

No futebol, a derrota é cut and dried. Clara, inequívoca, imutável. É death and taxes! Não tem meio termo. Sem essa de hit or miss. Em jogos de decisão, só se sai vivo ou morto: dead or alive! É pegar ou largar: take it or leave it! É tudo ou nada: all or nothing! É vencer ou morrer: do or die! É mata-mata: kill or be killed! Vexame histórico? Vivemos anestesiados nele desde sempre!

E foram muitos jogos contra. Contra a corrupção correndo solta, um jogo cheio de ups and downs – altos e baixos! Contra os problemas na saúde, educação e segurança, um jogo bem ao estilo by hook or by crook – aos trancos e barrancos! E contra a venda ilegal de ingressos, um jogo mais by leaps and bounds – de vento em popa! Melhor tirar o salto alto e botar os pés no chão! Que a derrota corte a anestesia! 

Pensando bem, tenho várias certezas sobre a Copa do Mundo: 1) a derrota humilhante não anula o sucesso do evento; 2) o brasileiro zomba da sua própria tragédia: é uma maneira de minimizar a dor. Não seria diferente com esse baita revés esportivo; 3) aliás, vamos combinar que a maca da FIFA era coisa para defunto; 4) venceu o melhor: parabéns e devagar com esse nariz, Loew!

Perdemos a copa? Pois que vençamos nos estudos e no trabalho. Com coragem, ética e dignidade! O dia a dia tem muito mais do que sete passos! Ou sete gols! Victory or death? Victory! Por sinal, alguém aí venceu o bolão da empresa? E aqui vai a certeza derradeira: continuamos todos aqui – through thick or thin! Mas que seria muito mais fácil fazer a mala e ir embora, ah, seria!

Notas altamente esclarecedoras

·         Siamese twins (ou irreversible binomials, binomial pairs, freezes) são pares ou grupos de palavras usados como expressões idiomáticas, geralmente unidas por or ou and. A ordem dos elementos não pode ser alterada: rock and roll, law and order, bread and butter, wear and tear…. Leia mais em http://en.wikipedia.org/wiki/Siamese_twins_(linguistics)

·         fish and chips (peixe frito e batata frita), meat and potatoes (básico/prioritário/arroz com feijão sentido figurado), down and out (na pior), dead and buried (morto e enterrado), bag and baggage (de mala e cuia), skin and bones (só pele e osso), hammer and sickle (a foice e o martelo), high and dry (desamparado/ao deus dará), live and learn (vivendo e aprendendo), cat and mouse (gato e rato), high and mighty (o rei da cocada preta), rough and tumble (turbulência/violência), rough and ready (no improviso), armed and dangerous (armado e perigoso), chalk and cheese (água e vinho), neither here nor there (não fede nem cheira/não sobe nem sai de cima), deaf and dumb (surdo e mudo), blind (cego), safe and sound (são e salvo), alive and kicking (são e salvo), home and dry (são e salvo), poker face (expressão impassível/imperturbável),  face to face (face a face), eye to eye (olho no olho), side by side (lado a lado), tit for tat (olho por olho, dente por dente), sink or swim (ou vai ou racha), heads or tail (cara ou coroa), step by step (passo a passo), bit by bit (aos poucos), dog eat dog (briga de cahorro grande), now or never (agora ou nunca), cut and dried (curta e grossa/pão, pão, queijo, queijo), hit or miss (acaso), dead or alive (vivo ou morto), take it or leave it (pegar ou largar), all or nothing (tudo ou nada), do or die (vencer ou morrer), kill or be killed (matar ou morrer), ups and downs (altos e baixos), by hook or by crook (por bem ou por mal/aos trancos e barrancos/custe o que custar), by leaps and bounds (de vento em popa), victory or death (a vitória ou a morte), through thick or thin (na riqueza e na pobreza).

·         Xoxo (diga éks ôu éks ôu) significa abraços e beijos, ou hugs and kisses em inglês: a letra x imita uma pessoa de braços abertos e a letra o imita a forma de uma boca quando beija.

·         A expressão death and taxes vem de uma frase cuja autoria é atribuída ao cientista e estadista americano Benjamin Franklin. Ele disse: “In this world nothing can be said to be certain, except death and taxes“ (neste mundo, nada pode ser dado como certo, exceto a morte e os impostos).

·         Como se diz bolão da empresa em inglês? Office pool. Quem ganha o prêmio, wins the jackpot! Xoxo! 

 

*Cristina Ustárroz é a professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A. Ela escreve mensalmente para o BlogA.

 

Cristina Ustárroz
A professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A.

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.