Sobre livros

Lave-me ou faça-me obra de arte

0

Se quando você era criança gostava de ser o engraçadinho da turma e escrever “Lave-me” nos carros cobertos de pó que via pela rua, saiba que nisso podia estar escondido um grande talento artístico. Pelo menos esse foi o caso de Scott Wade, um americano que cresceu perto de uma estrada poeirenta no Texas e, de tanto ver o carro da família coberto de terra, decidiu transformar aquilo em tela para seus desenhos. A técnica foi se aprimorando com o tempo e hoje ele é capaz de obter resultados como esses que a gente traz para inspirar o começo da semana.


Feita na sujeira, a Mona Lisa continua igualmente misteriosa.
[FONTE: todas as imagens são do site de Scott Wade]


Um grupo de mariachis alegra as janelas pouco cuidadas

Em seu site pessoal, Wade conta que nunca tomou a decisão de se tornar um artista de vidros de carros. A coisa começou como uma brincadeira. Filho de um cartunista amador, Wade rabiscava os vidros do carro para espantar o tédio e, como o carro estava constantemente coberto de poeira, ele logo passou a experimentar com palitos e outros objetos até chegar aos pincéis.


Uma composição impressionante improvisada no carro da família


Outra releitura de uma grande obra de arte

Foi apenas em 2003 que o artista se deu conta de que poderia desenvolver o trabalho e levá-lo ao “próximo nível”. Um de seus passatempos prediletos é tentar recriar as pinturas dos grandes mestres no pó acumulado. Claro que, ao contrário do teto da Capela Sistina, a arte de Wade dura apenas até a próxima chuva. Mas, assim como os profissionais da arte efêmera, ele não se preocupa com isso e vê o lado positivo: quando uma obra desaparecer, surge espaço para a próxima.


O original já é impressionante, que dizer da versão na poeira?


Reconhece o Ronaldinho Gaúcho? Essa obra foi feita em uma visita ao Brasil

A fama bateu à porta de Wade quando um amigo apresentou fotos de seu trabalho a um jornalista. Assim, o diário local fez uma nota sobre o peculiar artista e publicou uma galeria de imagens. Em menos de uma semana, as obras caíram nas graças da internet e milhares de blogs repercutiram o caso. Hoje, embora mantenha seu trabalho diurno em tempo integral, Wade faz performances em eventos, viaja para entrevistas e atua em peças publicitárias.


Aqui, Wade está finalizando um retrato de Frida Kahlo


Obra feita para um evento promocional

Se nos perguntassem, a gente apostaria que Wade foi leitor da obra Fazendo Arte com Qualquer Coisa quando era criança. O livro traz projetos artísticos fantásticos que usam apenas materiais do dia a dia. Para quem tem ou convive com crianças de 4 a 10 anos de idade, essa é a chance de despertar o artista interior que vive nelas. Em alguns anos, elas podem estar tirando seu sustento da criatividade, assim como Wade pretende fazer em breve: se tudo der certo, ele logo passará a viver só de arte em carros sujos.


Esse trabalho foi uma encomenda para o aniversário de Bob (seja ele quem for)


Uma banda de blues em sua apresentação empoeirada

Se você ainda não clicou no link para o site do artista, a gente recomenda a visita. A galeria de imagens é muito maior do que poderíamos colocar aqui, e a seção de perguntas frequentes é uma aula de vida: afinal, Wade foi artista por vocação, soube aproveitar a oportunidade quando ela bateu à porta e pratica o desapego diariamente. Uma inspiração e tanto!

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.