Tecnologia Educacional

Gestão dos planos de ensino: como garantir a aplicação dos conteúdos

0
alunos em aula a partir da gestão de planos de ensino
Foto: Pexels

Ter um modelo eficaz de governança em uma IES e fazer a gestão dos planos de ensino são ações que impactam diretamente no dia a dia de instituições. Gestores já sabem disso, o que não necessariamente quer dizer que seja simples implementar estas diretrizes.

Por muito tempo, o professor foi considerado uma autoridade em sala de aula. Seja por afinidade ou por possuir uma determinada especialização, ele tinha liberdade para priorizar alguns conteúdos em detrimento de outros.

Em primeiro lugar, já contamos aqui o caso do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam). A IES mineira identificou certa vez um professor que, em vez de ensinar derivada e integral, preferia fazer revisões do Ensino Médio. Isto, durante o semestre letivo da disciplina de Cálculo.

O problema era que a Unipam não dispunha de ferramentas para realizar um controle mais assertivo do que era lecionado. E como ainda acontece na maioria das IES brasileiras, não conseguia acompanhar o desenvolvimento dos alunos ao longo do curso. Tampouco monitorar o trabalho dos docentes.

Hoje, tecnologias educacionais como o AvaliA permitem uma gestão eficaz dos planos de ensino. “Isso significa, primeiramente, entender como eles estão sendo conduzidos em sala. Segundo, fazer um diagnóstico em cima disso. E, terceiro, criar estratégias de ação e acompanhar o andamento das mesmas”, explica o gerente do AvaliA, Thiago Finotti.

Dados e relatórios guiam a gestão da Unilavras

Essa foi a solução encontrada pela Unipam e por outra IES mineira, o Centro Universitário de Lavras (Unilavras). Segundo o pró-reitor acadêmico, Cássio Pereira, em 2014 a Unilavras buscava uma metodologia para verificar a evolução do  aprendizado dos alunos.

“Queríamos uma ferramenta que pudesse nos trazer uma série de informações para melhorar a gestão dos conteúdos lecionados em sala de aula”, lembra Pereira. O AvaliA foi escolhido por cumprir os requisitos. Assim, gerando dados e relatórios a partir de uma prova semestral com base no programa das disciplinas.

Por fim, os benefícios não demoraram para aparecer. “A plataforma nos possibilitou identificar problemas na aplicação dos planos de ensino. E, quando necessário, realizar intervenções didáticas para melhorarmos o desenvolvimento pedagógico”, afirma , o pró-reitor acadêmico da Unilavras.

Leia o case completo da Unipam com apoio do AvaliA.

Sistema avaliativo cria cultura de resultados

Em resumo, a vantagem da gestão dos planos de ensino por meio de um sistema avaliativo foi a criação de outra cultura. Agora, com foco na busca por resultados em toda a equipe acadêmica da Unilavras. Os coordenadores e gestores otimizaram o seu trabalho utilizando as estatísticas e análises fornecidas pela plataforma.

Por outro lado, o modelo de prova do AvaliA, igual ao do Enade, motivou os docentes a elevarem o nível das suas próprias avaliações. Essa transformação impactou positivamente na formação profissional e nos indicadores do Ministério da Educação.

Afinal, os graduandos assimilam, desde o primeiro período, a metodologia do Enade. Dessa maneira, incrementando sua performance e aumentando a nota da IES. “Quando você consegue envolver toda a rede, desde o pró-reitor até o aluno, o ganho para a instituição é multiplicado”, destaca Finotti, do AvaliA.

A corrida para o ENADE 2020 já começou!
Que tal largar na frente?

Natália Collor
Natália é Jornalista e atua na Inteligência de Mercado do Grupo A

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.