Institucional

Conscientização – novembro azul

0

Depois do Outubro Rosa, campanha de conscientização e prevenção do câncer de mama, chegou a vez do Novembro Azul, iniciativa do Instituto Lado a Lado pela Vida, que, desde 2012, busca levar informação e incentivar a prevenção contra o câncer de próstata. Apesar de a campanha ter impactado mais de 60 mil pessoas em 2014, há um grande desafio a ser superado: o preconceito. Conforme dados do Instituto, 87% dos homens afirmam que este é o motivo que mais atrapalha na realização de exames preventivos.

novembro-azul

Campanha Movember

Para arrecadar fundos para a saúde masculina, a Movember Foundation promove, durante o Novembro Azul, programas buscando combater câncer de próstata, câncer testicular, má saúde mental e inatividade física. Esses são alguns dos principais problemas que atingem os homens, segundo a organização de caridade, que funciona internacionalmente.

Neste ano, a partir do desafio Move, a população pode se inscrever no site para participar de 30 dias de atividades físicas, as quais são computador a partir de metas e no fim serão revertidas em verbas para a saúde masculina. A campanha tem como alvo tanto homens quanto mulheres, que também podem se exercitar para ajudar na arrecadação, além de ter como foco a promoção de uma vida mais saudável a partir das atividades físicas.

A instituição é a mesma responsável pelas ações de marketing que associaram o novembro com a imagem de bigodes, e neste ano também é possível agir deixando-os crescer. Isso porque outro desafio do Movember – esse apenas voltado para homens – é deixar crescer o bigode durante esses 30 dias, tanto para promover debates sobre o assunto quanto para arrecadar fundos.

Gostou da ideia de se mexer e ainda ajudar na saúde dos homens? É só começar o desafio a partir do site da Movember.

Veja, abaixo, as principais informações sobre a doença:

O que é o câncer de próstata?

É o resultado de uma multiplicação desordenada das células da próstata. Quando há presença de câncer, a glândula endurece. Na fase inicial, o câncer de próstata não tem sintomas. Em 95% dos casos, eles aparecem em estágio avançado. Portanto, exames preventivos frequentes são fundamentais para que a doença não seja descoberta em estado avançado. Homens a partir dos 50 anos de idade (ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família), devem procurar um urologista anualmente para realizar os exames preventivos.

Um desses exames é o toque retal. O exame é rápido e indica se a próstata apresenta algum tipo de alteração. Caso a alteração seja detectada, o médico pode solicitar outros exames para confirmar o diagnóstico, como o PSA (Antígeno Prostático Específico), o ultrassom transretal e a biópsia da glândula, que consiste na retirada de fragmentos da próstata para análise. Só então é feito o diagnóstico.

As causas da doença

Embora desconhecidas, o câncer de próstata costuma aparecer, com mais frequência, em homens com mais de 65 anos. Em casos da doença na família (pai ou irmão), as chances aumentam em 50%. Além disso, estilo de vida, alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos podem interferir no surgimento da doença.

Sintomas

  • A sensação de que sua bexiga não se esvaziou completamente e ainda persiste a vontade de urinar.
  • Dificuldade de iniciar a passagem da urina.
  • Dificuldade de interromper o ato de urinar.
  • Urinar em gotas ou jatos sucessivos.
  • Necessidade de fazer força para manter o jato de urina.
  • Necessidade premente de urinar imediatamente.
  • Sensação de dor na parte baixa das costas ou na pélvis (abaixo dos testículos).
  • Problemas em conseguir ou manter a ereção.
  • Sangue na urina ou no esperma (esses são casos muito raros).
  • Dor durante a passagem da urina.
  • Dor quando ejacula.
  • Dor nos testículos.
  • Dor lombar, na bacia ou nos joelhos.
  • Sangramento pela uretra.

Tratamento

Os tratamentos do câncer de próstata devem ser individualizados e únicos de acordo com as necessidades de cada paciente, levando-se em conta a idade, o estadiamento do tumor, o grau histológico, o tamanho da próstata, as comorbidades (existência de duas ou mais patologistas em um mesmo paciente), a expectativa de vida, os anseios do paciente e os recursos técnicos disponíveis.

 

Fonte: Instituto Lado a Lado pela Vida

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.