Educação

Conheça as 3 metodologias clássicas de ensino e as diferenças entre elas!

0

Quando falamos no ensino dentro das faculdades, é esperado que os alunos saibam como se aprofundar na matéria por conta própria, buscando o conhecimento disponível na instituição. Porém, o trabalho do professor está longe de ser dispensável. Entender as principais metodologias clássicas de ensino superior e como aplicá-las faz uma grande diferença no processo de aprendizado dos alunos.

Uma metodologia de ensino, como o nome já diz, é um conjunto de práticas e premissas que um educador pode seguir para orientar seu trabalho. Elas envolvem vários aspectos, desde a forma de falar até o método de apresentação do conteúdo. Naturalmente, estes métodos evoluem ao longo dos anos, mas todos se originam a partir de alguma teoria clássica.

Essas metodologias são mais enfatizadas no ensino básico, mas muitos de seus princípios ainda se aplicam na vida acadêmica. Para esclarecer isso, vamos citar aqui 3 metodologias de ensino clássicas do ensino superior que você pode adotar. Acompanhe!

1. Ensino tradicional

Essa é a metodologia mais conhecida, por bons motivos. Nela, a principal premissa é a de que o estudante é como uma “tabula rasa”, absorvendo o conteúdo que o professor transmite e acumulando-o. Daí vêm os anos de ensino baseados na replicação de conteúdo, anotações e provas.

Seu foco está na praticidade e eficiência, permitindo que um grupo grande de pessoas seja instruído por apenas um professor em um período de tempo relativamente curto. Por isso é a metodologia clássica de ensino mais utilizada em todo o sistema educacional ao redor do mundo. Mesmo no ensino superior, esse padrão ainda é amplamente adotado, seja por maior familiaridade dos professores e estudantes ou por ser mais adequado ao conteúdo específico.

2. Modelo construtivista

Em oposição ao estilo tradicional, você pode buscar uma metodologia do ensino superior que siga uma premissa completamente diferente. O modelo construtivista, baseado principalmente no conhecimento de Piaget, parte da ideia de que o conhecimento é construído ativamente pelo indivíduo, não absorvido passivamente.

Aqui, a interação é o mais importante. Atividades em grupo, discussões e outras tarefas que exijam comprometimento ativo do estudante são a preferência para os construtivistas. Esse se apoia principalmente no comprometimento de todos os alunos com o processo de aprendizado. O papel do professor aqui é mais como um guia do que um instrutor, oferecendo tarefas que estimulem os estudantes a buscarem mais informações por conta própria.

3. Escola comportamentalista

Esse estilo de aula é bem popular em algumas partes do mundo, sendo uma das metodologias clássicas de ensino superior mais utilizadas atualmente. O princípio orientador aqui é que o comportamento pode ser modelado de acordo com o feedback que a ação gera, sendo ele reforçador, punitivo ou neutro.

A cada interação, os alunos recebem tarefas que demandam algum comportamento. Dependendo de sua resposta, eles recebem um feedback, sempre com a intenção de reforçar o comportamento desejado e evitar o indesejado.

Esses são as principais metodologias clássicas de ensino, as quais servem de base para o sistema educacional moderno. Também podemos dizer que não existe uma metodologia perfeita. Você sempre pode se aprofundar mais no tema, descobrindo novos métodos, adaptando ferramentas para o seu contexto e melhorando sua aula.

Se quiser aprender mais para continuar melhorando suas aulas, assine nossa newsletter e fique sempre bem informado. Você receberá todas as nossas novidades diretamente em seu e-mail.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.