Tecnologia Educacional

Ambiente virtual de aprendizagem: guia para implantação e engajamento

0
Foto: Shutterstock

Você já deve saber que um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) é fundamental em tempos de expansão do EAD e de oportunidades cada vez mais consolidadas no ensino híbrido. Mas saber implementar, engajar os alunos e utilizar o AVA da melhor maneira possível, pode ser ainda um grande desafio para as IES.

Neste guia, você vai aprender a criar um ambiente virtual engajador e escolher a tecnologia educacional ideal. Além de ter as ferramentas necessárias para priorizar a qualidade no conteúdo que você oferta.

O que é ambiente virtual de aprendizagem?

O ambiente virtual de aprendizagem é um espaço digital pensado para o aluno desenvolver conhecimento. É lá que ficam concentrados os conteúdos das aulas, materiais de apoio, salas virtuais, fóruns de discussões e chat para contato entre professores e alunos.

Na prática parece muito como uma sala de aula tradicional. A diferença é que no AVA, a sala não está restrita a um ambiente físico. Pelo contrário, ela pode ser acessada de qualquer lugar e tem um leque maior de possibilidades agregadas pela tecnologia.

Quer conhecer o melhor AVA do mercado?
Clique aqui e conheça todas as versão da Blackboard.

Como criar um ambiente virtual de aprendizagem de qualidade?

Criar um AVA que de fato seja atrativo aos estudantes e que oportunize um bom gerenciamento para os professores requer planejamento. Em um ambiente virtual de aprendizagem, a instituição de ensino superior (IES) tem acesso a diversos recursos. Por exemplo, webconferência e práticas com realidade aumentada.

O problema é quando não se sabe como extrair o melhor destas funcionalidades e a IES compromete o engajamento que deseja dos alunos. Também pode existir uma resistência nos professores em utilizar da ferramenta.

Por isso, a seguir vamos falar sobre como criar um ambiente que engaje, tanto os alunos como os professores neste processo.

6 dicas para criar um ambiente virtual engajador

Não existe EAD de sucesso sem um AVA construído com dedicação e atualizado constantemente. Por isso, fique atento e constantemente abasteça o ambiente virtual. Envolver sua equipe e dedicar tempo para consolidar ambientes de aprendizado de qualidade faz toda a diferença na prática.

1. Eleja o ambiente virtual de aprendizagem ideal

Primeiramente, você precisa mapear as necessidades da sua IES em relação a educação a distância ou ensino híbrido. Tudo depende do quão consolidado está este sistema de aprendizagem na instituição e o quanto é necessário começar do zero esta operação.

Depois de mapear as necessidades da sua IES, é hora de colocar na balança prós e contras de cada solução de ambiente virtual de aprendizagem. Atenção para pontos como usabilidade, tecnologia, suporte e relatórios! Estes detalhes, fazem a diferença no engajamento de alunos e professores, mas também no dia a dia de gestores.

Por estes motivos, saiba que o ambiente virtual ideal para sua IES é o que proporciona uma boa experiência para todos os envolvidos: alunos, professores e gestores. Preço, usabilidade e governança são as palavras-chave nesta equação. Pesquise, dê preferência para líderes de mercado e busque experiências de outras IES que já utilizam o produto que você está buscando.

Conheça a experiência da UNASP com Blackboard:

2. Faça um plano de aula

Em resumo, construa um planejamento para as salas de aula virtuais com objetivos claros e indicadores de sucesso a serem acompanhados. Estes pontos, podem mudar a experiência dos alunos dentro do ambiente. Além de ajudar o próprio professor a entender o que funciona e o que não funciona. Isto, porque um ambiente virtual não é a mesma coisa que uma aula tradicional, tenha isto em mente.

Em segundo lugar, não esqueça que os gestores precisam envolver os professores em todo o processo. A visão deles pode enriquecer – e muito – as ideias. Com um plano definido, é mais fácil sair do básico e se diferenciar dos concorrentes.

Leia também:
:: Gestão dos planos de ensino: como garantir a aplicação dos conteúdos

3. Explore todos os recursos

O ambiente virtual de aprendizagem ideal dá suporte tecnológico para sua instituição oferecer experiências engajadoras em EAD. Tecnologia precisa ser um aliado neste momento e todos os recursos tem uma parcela de responsabilidade no processo de engajamento.

A webconferência, por exemplo, é um recurso capaz de promover encontros dinâmicos e simultâneos, mesmo a distância. Já o fórum de discussão é um ambiente para estimular interação, que pode ser usado também para atividades avaliadas.

Leia também:
:: Tecnologia educacional em sala de aula: como torná-la uma grande aliada
:: Blackboard Learn Ultra: Uma experiência única e eficiente na aprendizagem

4. Varie os formatos

Fuja da monotonia de oferecer conteúdo sempre nos mesmos formatos. Alterar o modo como o aluno interage com as informações é um jeito muito eficiente de gerar engajamento. Afinal, muitos podem preferir um game, um podcast ou mesmo uma experiência imersiva com vídeo 360° para aprender. Variar é a palavra de ordem.

Foto: Shutterstock

Pense que o segredo do engajamento dos alunos, seja no ambiente virtual ou no ambiente presencial, é empatia. Se coloque no lugar destes estudantes e pense o que você no lugar deles gostaria de ver, ouvir e como gostaria de interagir. Se você não gostaria de ler cinco textos a cada aula, não pense que seu aluno vai se manter motivado sempre.

5. Mantenha o conteúdo atualizado no ambiente virtual de aprendizagem

Nada de montar um curso e deixar o mesmo conteúdo durante vários semestres. Por isso, atualize sempre os materiais adicionando estudos de caso e novos exercícios que os alunos possam relacionar à atualidade. Mudar os exemplos, acrescentar novos vídeos, outros textos e dinâmicas, faz com que o conteúdo esteja sempre fresco.

Trabalhe também com interação ao vivo, como uma webconferência para falar de uma pauta do momento. Com tantos recursos disponíveis, chega a ser decepcionante oferecer conteúdo ultrapassado em EAD.

6. Avalie os dados

Quem investe em planejamento, deve ficar de olho, sobretudo, nos dados. Primordialmente, um plano só é completo com acompanhamento de resultados e geração de insights a partir dos números.

Blackboard Open LMS é um ambiente virtual de aprendizagem que conta com a tecnologia X-Ray Learning Analytics. A funcionalidade da plataforma deixa o monitoramento de dados em tempo real muito mais prático e eficiente.

Como escalar EAD com qualidade a partir do ambiente virtual de aprendizagem

De 2007 a 2017, a educação superior no Brasil experimentou um período promissor. Evoluiu de 5,3 milhões de matrículas para o índice inédito de 8,3 milhões. Os dados são do último Censo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) do Ministério da Educação (MEC).

De 2014 para cá, no entanto, a crise econômica colocou um pé no freio nesse movimento. Em quatro anos, foram apenas 300 mil novos alunos. Atraídos especialmente pela flexibilidade e pelos preços acessíveis de cursos de educação a distância (EAD). A partir disso, surgiu a necessidade de escalar EAD com qualidade. Enquanto o número de ingressantes no ensino presencial cresceu 19% ao longo da década 2007-2017, na EAD o aumento foi de 229%.

A modalidade EAD, que hoje representa cerca de 25% do total de matrículas no país, desponta como o futuro do acesso à educação. O incremento dessa demanda, inclusive, tem feito com que as instituições de ensino superior busquem diferenciação. Até porque se trata de um mercado cada vez mais concorrido. É nesse contexto que a adesão a tecnologias da informação e comunicação (TICs) torna-se um caminho sem volta.

Na era da educação digital, tão importante quanto a atração de novos alunos é o engajamento, o que depende diretamente de um AVA seguro e de qualidade.

Confira quatro atributos essenciais para escalar EAD com qualidade

1. Atualização de layout

Em primeiro lugar, as principais plataformas educacionais do mundo permitem que IES personalize o layout de seu AVA. Assim, a ferramenta ficará com a identidade da instituição, reforçando o conceito de marca e a reputação.

Além disso, todo ambiente virtual de aprendizagem precisa atender a uma demanda básica: estar otimizado para ser usado em diferentes tipos de dispositivos – como computadores e smartphones.

2. Investimento em gamificação

Empregada na estratégia de engajamento dos alunos, a gamificação é uma solução conhecida entra as IES mais conceituadas e inovadoras. Por meio da lógica dos videogames, o processo auxilia não apenas no processo de aprendizagem. Mas também no desenvolvimento de habilidades psicossociais. Um bom AVA oferece à IES ferramentas essenciais para o desenvolvimento da gamificação.

3. Boa comunicação

Em resumo, um ambiente virtual de aprendizagem de qualidade precisa favorecer as interações entre alunos, professores e tutores. Por meio de ferramentas como chats e fóruns, os estudantes esclarecem dúvidas e trocam ideias.

Ambas as partes – corpo docente e discente – devem receber, ainda, feedbacks sobre as atividades desempenhadas, adequando assim a performance de cada um conforme as expectativas criadas.

4. Mapeamento de dados assertivo

Por fim, a ferramenta também pode servir como instrumento de rastreio de todas as ações dos alunos – da quantidade de acessos até as entregas dos trabalhos.

Com os dados gerados a partir desse mapeamento, a gestão da IES conseguirá desenhar estratégias mais assertivas para melhorar a relação com o aluno, o processo de aprendizagem e a eficiência dos professores e tutores. Como consequência direta, conseguirá fidelizar e reter alunos.

Natália Collor
Natália é Jornalista e atua como Assistente de Marketing no Grupo A

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.