Sobre o BlogA
Comprar
Livro

Teacher Explica

Tirar a letra

Por Cristina Ustárroz*

Dizem que só escutamos o que queremos ouvir. Pois o menininho cantava: ♫era um maroto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones♪. Bonitinho, não? Mas se você conhece essa música sabe que a palavra na letra não é maroto. É garoto! E o engano se justifica: entre garoto e maroto há somente uma letra diferente, o que gera um convite, ou uma indução, ao erro de audição. Confesse: quantas vezes isso aconteceu com você?

Comigo, várias! Só que não sou a única! É como o ♪Vital e sua moto♫! Uma galera com ouvidos menos privilegiados cantava ♪mais que um leão feliz♫ no lugar de ♫mas que união feliz♪. Falando em leão, uma geração inteira sem ouvidos afinados cantava ♫the lion sleeps tonight, a whim away a whim away, a whim away♪. Só que a letra é ♫awimbawe, awimbawe, awimbawe♪! Não é muito diferente, certo? Mas enquanto uns vão ♪trocando de bikini sem parar, outros vão tocando BB King sem parar♫.

E sem parar cantava quem não tinha a letra de Purple Haze, de Jimi Hendrix, na capa do vinil: ♫excuse me while I kiss this guy♪! Só que a letra é ♪excuse me while I kiss the sky♫! Será que a dicção do cantor não era lá essas coisas? Ou será que tem uma pitada de desejo nosso envolvido no modo como entendemos uma letra? Certamente, prefiro kiss this guy! Além de ser uma versão mais plausível.

Por sinal, se os fãs de Hendrix viajavam enquanto tiravam de ouvido as letras das músicas do ídolo, os fãs dos Beatles, aparentemente com ouvidos entupidos, inventavam coisas que não têm pé nem cabeça: sabe Lucy in the Sky with Diamonds? Pois ♪the girl with kaleidoscope eyes♫ de repente virou ♫the girl with colitis goes by♪! Não que kaleidoscope eyes faça algum sentido. É como ♫entrei de caiaque no navio! Entrei, entrei, entrei pelo cano♪! Ou não! Mas que assassinaram a letra, isso sim! Que engano!

 

 

Sempre me perguntei se as pessoas realmente prestam atenção no que estão cantando em inglês. Ou se fazem ouvidos de mercador. A resposta veio quando uma geração de veganos famintos celebrou ♪this is the dawning of the age of asparagus, age of asparagus, asparagus! Asparagus♫! O que era para ser um glorioso aquarious virou um insosso asparagus. Trucidaram a música, mas ficou divertido! Ou ficou divertido, mas trucidaram a música!

A propósito, o que dizer sobre a canção Tiny Dancer do Elton John? ♫Hold me close young tiny dancer♪ virou ♪hold me closer Tony Danza♫. Entende-se a confusão: o ator Tony Danza arrancou suspiros dos dois lados da torcida. Agora sente-se ou vai cair de quatro: ♫smoke on the water, and fire in the sky♪ para alguns é ♪slow motion Walter, the fire-engine guy♫! Os caras do Deep Purple devem ter ficado deep purple mesmo!

 

 

Por falar em água, vejamos a próxima: ♫I can see clearly now Lorraine has gone♪. Que Lorraine has gone, que nada! O certo é ♪the rain is gone♫! Percebe a semelhança? Lorraine e the rain! Mas, azar! Era assim que os fãs cantavam. Ou ainda cantam. E não me refiro apenas aos fãs brasileiros: do mesmo modo que nós, muitos gringos têm cera no ouvido! Com cera ou sem cera, há uma distância muito grande entre o que é dito e o que é ouvido. Ou compreendido.

A verdade é que nossos ouvidos nos traem. Veja o que aconteceu com The Dancing Queen, do grupo ABBA: ♫see that girl, watch her scream, kicking the dancing queen♪ virou ♪see that girl, watch that scene, digging the dancing queen♫. Pra matar, não? Mas foram os fãs dos Stones que saíram da casinha, trancaram a porta e jogaram a chave fora quando transformaram beast of burden em pizza burning. Pensa que tirar a letra é algo que se tira de letra?

 

 

Você pode nunca ter ouvido falar em Stevie Nicks. No entanto, uma horde de fãs sem ouvido musical cantava ♫just like the one-winged dove♪ em vez de ♪just like the white-winged dove♫. Isso é coisa de quem tem gênero forte. Ou será gênio forte? E responda sinceramente: você canta ♫rock the casbah, rock the casbah♪ ou ♪rock the catbox, rock the catbox♫? Shareef don´t like it! Nem um pouquinho!

Aliás, uma inteira geracão de surdos cantou ♫like a virgin, touched for the thirty-first time♪. Só que a Madonna cantava ♪like a virgin touched for the very first time♫. E olha que entre very first e thirty-first são trinta diferenças! Para todos os defeitos, quero dizer, efeitos, destroçamos a letra, mas cantamos com alegria! Porque na maioria das vezes, o que importa é a melodia. É ou não é?

E na canção Livin’ on a Prayer, do Bon Jovi, ♫it doesn’t make a difference if we make it or not♪, virou ♫it doesn’t make a difference if we’re naked or not♪. Ver o Bon Jovi pelado? Faz toda diferença! Até eu cantava assim! Qual é mesmo minha suspeita sobre o desejo influenciando o que escutamos? É que acreditamos que estamos certos mesmo quando estamos errados!

Por sinal, você faz parte daquela geração que foi controlada por dubladores com zumbido nos ouvidos? Aquela que cantou ♫Hatuna Matata♪ em vez de ♪Hakuna Matata♫? Você também não sabia que o certo é Hakuna? Mary Christmas! Isso, sim, é um crime cometido com frieza, um verdadeiro ice cream!

 

 

Ainda sobre leões, enquanto REM canta ♫that’s me in the corner♪, os fãs convidam ♪let’s pee in the corner♫! Enquanto uns cantam ♪fazer amor de madrugada, amor com jeito de pirata♫, o Kid Abelha canta ♫amor com jeito de virada♪! E ainda tem gente que acha que free shop significa chope de graça! É que pensamos que cantamos certo, mesmo quando cantamos errado.

Mas não se deixe abater se o cantor tem péssima dicção. Nem se o som dos instrumentos atrapalha sua compreensão. Acontece com todo mundo! E não fique constrangido se o que você entendeu estiver errado. Nem se provocar risos nos outros. Não dê ouvidos! Você não é o único! Siga se esforçando: você vai conseguir! Mas se o Creedence cantar ♫bad moon on the rise♪ e você entender ♪bathroom on the right♫, vou lhe dizer uma coisa ao pé do ouvido: quem sabe seja hora de procurar um otorrino!

 

Notas altamente esclarecedoras

  • Canções em inglês mencionadas no texto: The Lion Sleeps Tonight, Tokens, 1961; Purple Haze, Jimi Hendrix, 1967; Lucy In The Sky With Diamonds, The Beatles, 1967; Aquarius, Fifth Dimension, 1969; Bad Moon Rising, Creedence Clearwater Revival, 1969; Tiny Dancer, Elton John, 1971; Smoke On The Water, Deep Purple, 1972; I Can See Clearly Now, Johnny Nash, 1972; The Dancing Queen, ABBA, 1976; I Will Never Be Your Beast Of Burden, Rolling Stones, 1978; Just Like The White-Winged Dove, Stevie Nicks, 1981; Rock The Casbah, The Clash, 1982; Like A Virgin, Madonna, 1984; Livin’ On A Prayer, Bon Jovi, 1986; Losing My Religion, REM, 1991.
  • A canção The Lion Sleeps Tonight, também conhecida como Awimbawe, Wimoweh, ou Wimba Way, foi escrita em zulu, uma das 11 línguas oficiais da África do Sul em 1939, mas foi somente em 1961, quando foi adaptada para o inglês pela banda Tokens, que virou sucesso internacional.
  • Hakuna Matata é uma frase em suaíli, língua falada da África Oriental, e significa vida longa, sem problemas. A frase ficou famosa através do filme The Lion King.
  • Mondegreen é um erro de audição resultante de uma semelhança fonética entre a expressão dita e a expressão entendida, isso tudo em inglês. Quem se deu conta da sacada foi a escritora americana Sylvia Wright no seu artigo The Death of Lady Mondegreen, publicado em 1954. O título vem da má interpretação de laid him on the green (deitou-o na grama) na canção folclórica escocesa The Bonnie Earl O’Moray. Laid him on the green virou Lady Mondegreen! A série Rugrats apresenta vários mondegreens a cada episódio. E sirvam nossas lasanhas!
  • O equivalente de mondegreen em português do Brasil é virundum, originário de uma má interpretação do Hino Nacional Brasileiro: o virundum piranga imagens plásticas! E no português de Portugal é tiocidade, que surgiu quando um aluno interpretou incorretamente a letra de uma música que diz dentro de ti, ó cidade. Falou tiocidade!
  • http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_mondegreens
  • Já soramimi, muito explorado pela turma do programa Pânico, trata de mal-entendidos intencionais entre dois idiomas: no nosso caso, do inglês para o português. Como em Telma, eu não sou gay no lugar de tell me once again!
  • Exemplos de virunduns ou tiocidades no texto: Era Um Garoto Que Como Eu Amava Os Beatles E Os Rollings Stones é uma canção italiana, de 1966, que ganhou versão brasileira em 1967 com Os Incríveis e outra em 1990 pelos Engenheiros do Hawaii; Vital E Sua Moto, Paralamas do Sucesso, 1983; A Noite Do Prazer, de Cláudio Zoli, 2006; Melô Do Marinheiro, Paralamas Do Sucesso, 1986; Pintura Íntima, Kid Abelha, 1984.

 

*Cristina Ustárroz é a professora de inglês preferida dos colaboradores do Grupo A. Ela escreve mensalmente para o BlogA.

Quer receber todo mês as novidades do Grupo A direto no seu e-mail?




Enviando...

Email Inválido