Sobre o BlogA
Comprar
Livro

Inspiração da semana

Pequenas criaturas inspiradoras

Qual criança nunca imaginou um mundo em miniatura logo que ouviu falar de duendes, seres pequenos com grandes poderes mágicos? Ou passou a tarde deitado na grama pensando em como seria a vida secreta das formigas, o que elas realmente fazem dentro de suas casas quando ninguém está olhando. E, ainda, ao despertar no meio da noite, procurou se certificar de que os brinquedos não haviam ganhado vida. Se você se viu em umas dessas situações vai sorrir quando conhecer mais do trabalho de Isaac Cordal. E refletir também.


Morri e fiquei aqui abandonado
[FONTE: So bad, so good]


Envelhecer a dois é isso

Artista espanhol versado na arte da escultura e da fotografia, Cordal criou um mundo paralelo de seres minúsculos que habitam as ruas do México na série Cement Eclipse, ou, na tradução livre, eclipse de cimento. O nome, aparentemente lúdico e sem sentido, na verdade dá pistas do que o escultor pretende com seus pequenos bonecos de cimento, todos feitos à semelhança do criador, ou seja, humanizados. E tal qual o fenômeno responsável por cobrir a lua com o sol ou vice e versa, a série Cement Eclipse evidencia um pouco do que nós, seres humanos, somos, mas às vezes não queremos ver


Eu vejo flores em você


Alguém me tire daqui!
[FONTE: Fusion]

A série de bonecos encontrados nas ruas de Chiara pode parecer só mais uma expressão de arte urbana, outra vertente do trabalho de Isaac Corral, mas é muito mais do que isso. Com suas figuras esqueléticas, o artista não só homenageia a cultura local, sua predileção por caveiras e sua relação com a morte, como faz uma critica sutil àquela sociedade, parte do todo em que vivemos. Em seus trabalhos, ele critica a política, a falta de cuidados com o meio ambiente e até mesmo o fato das pessoas passarem todos os dias por obras de arte e não as apreciarem. As criações de Corral podem ser pequenas, mas não são invisíveis e, se apreciadas com atenção, abrem um mundo de possíveis leituras.


Dois menores abandonados


A eterna espera
[FONTE: So bad, so good]

Segundo o próprio artista, a ideia é que os bonecos funcionem como fósseis da cidade, e, não por acaso, são encontrados em poças d’água, em restos de canos ou simplesmente atirados no chão. Uma crítica semelhante e que mostra onde Cordal quer chegar pode ser encontrada na série anterior, a Follow The Leaders, na qual as mãos inteligentes do espanhol transformam pequenos homens de negócios em retratos que bem poderiam ser da vida real. Coloca homens de terno e suas pastas em situações que nos fazem refletir sobre o capitalismo nosso de cada dia. 


Afinal, quem é ladrão?
[FONTE: Fusion]


Vamos discutir… glub, glub, glub

Marginalizadas, as esculturas de cimento de Isaac não têm futuro, especialmente se pensarmos nas esqueléticas encontradas no México, mas será que sua existência, em cenários reais, não é capaz de nos fazer ver a beleza nos pequenos detalhes? Pense nisso e compartilhe conosco sua impressão sobre mais essa inspiração semanal. 😉

Quer receber todo mês as novidades do Grupo A direto no seu e-mail?




Enviando...

Email Inválido