Sobre o BlogA
Comprar
Livro

Sem categoria

Interestelar: para ver, ouvir e aprender

Quem disse que o melhor parceiro para um filme é a pipoca? Aqui no BlogA, a gente acredita que cinema combina mesmo é com livro. Na seção Leia & Assista, publicamos dicas de cinema e de leitura para você aproveitar o final de semana.

A princípio, a ficção científica não precisar ir tão longe para contar uma boa história. Mas Christopher Nolan achou que era interessante ir ao espaço, e até para outra galáxia, para falar de física, de astronomia e de temas mais mundanos como o amor e o meio ambiente. Em Interestelar, o diretor de grandes títulos como Batman, O Cavaleiro das Trevas e A Origem, vai a fundo na parte científica da ficção escrita pelo seu irmão Jonathan Nolan, roteirista do filme. É óbvio que, como Gravidade, outro recente filme do tipo, Interestelar também tem furos, ou soluções mal explicadas mesmo para quem conhece bem a física, mas nem por isso deixa de ser um filme imperdível. Afinal, também é uma forma de descobrirmos esse universo que habitamos e que tão pouco sabemos.


Cooper, vivido por Matthew McConaughey, é o piloto que vai tentar salvar a humanidade
FONTE: Divulgação

Aliás, em tempos de crise hídrica em São Paulo, a região mais importante do Brasil, fica ainda mais fácil de se interessar pelo longa metragem. Mais do que isso, de se identificar com a situação pela qual passam Cooper, vivido pelo novo queridinho da América Matthew McConaughey, e seus filhos. Em um ano futuro que não sabemos qual é, o mundo vive uma crise de recursos naturais. Em meio a tempestades de areia que se tornam cada vez mais frequentes, comprometendo o pulmão das pessoas, só há milho para comer. Na escola, nada de formar engenheiros: o que o planeta precisa é de bons fazendeiros.

É neste cenário desolador, em que a Nasa é vista como vilã por gastar tanto dinheiro para conhecer o espaço sem antes dominar a Terra, que surge uma missão para Cooper, um ex piloto da agência governamental. Mesmo correndo o risco de nunca mais ver seus filhos, ele aceita a missão de ir atrás de outros possíveis planetas para receberem os humanos, salvando assim a espécie de extinção. Ao lado de Brand, interpretada por Anne Hathaway, outros cientistas e alguns robôs, Cooper seguirá em busca de uma nova casa para todos nós. Com o passar dos anos, que nesse filme é mais relativo do que nunca, sua filha Murph, vivida por Jessica Chastain na fase adulta, também tentará salvar a população mundial, já que o planeta está cada vez mais sem solução. 

A premissa de Interestelar não é nova. Já vimos em outros filmes histórias de pessoas que precisam lidar com o dilema de salvar o mundo, seus filhos e, de quebra, a si mesmos. A novidade aqui é em que situação isso ocorre e em como pai e filha vão, de certa forma, trabalhar juntos nesta missão quase impossível. O uso e o abuso de teorias da física e da astronomia deixam o filme ainda mais interessante para um espectador que pouco ou nada sabe dessas duas matérias. E, se em Gravidade ficamos boquiabertos com as cenas do espaço e com o silêncio, em Interestelar é a trilha sonora de Hans Zimmer que impressiona mais do que as imagens. Por esse motivo o filme até tem sido mais relacionado com 2001: Uma Odisséia no Espaço do que com o longa de Alfonso Cuarón.


Uma missão clandestina e arriscada da Nasa vai em busca de outro planeta
FONTE: Divulgação

Mais do que isso, por se tratar de mais uma obra de Nolan, Interestelar vale, e muito, a visita ao cinema. Como obra cinematográfica, entrega todo o entretenimento que promete e ainda vai além. Ao misturar elementos de matérias tão teóricas com sentimentos como o amor, a raiva, a saudade e a solidão, se torna um filme para falar por dias. Para sentar em uma mesa e realmente discutir ou, ainda, para ir atrás de um livro que explique o que é afinal um buraco de minhoca no espaço. Dizer mais do que isso é estragar a surpresa. Ficou curioso, né? 😉

Quer receber todo mês as novidades do Grupo A direto no seu e-mail?




Enviando...

Email Inválido