Sobre o BlogA
Comprar
Livro

Inspiração da semana

Inspiração #78: Lixo, sombras e muito significado

Ano novo, vida nova, e o grande lance é se reciclar. Como nem tudo pode ser devidamente resetado, a gente pega o que já não tem serventia na vida e transforma em algo melhor. Nossa primeira Inspiração da semana de 2014 aqui no BlogA tem tudo a ver com essa temática da reutilização. Os artistas Tim Noble e Sue Webster são especialistas em fazer arte a partir do lixo. Mas eles não apenas empilham objetos para criar abstracionismo, pelo contrário, por meio da sombra produzida por suas quinquilharias eles transformam formas abstratas em formas figurativas. Esse processo, aliás, é mais ou menos parecido com o que tentamos fazer com nossas resoluções de ano novo, não é?

 
Youngman (2012) foi concebido com pedaços de madeira.
[FONTE: Marvelous

 
Em Dirty White Trash (1998), a pilha de lixo que forma o casal faz uma referência à forma como os americanos referem-se, preconceituosamente, à certa classe social.

 
Wild Mood Swings (2009) também foi concebido em madeira. Reparem nos fiozinhos de cabelo.

Tom e Sue também trabalham com uma temática mais dark e utilizam carcaças de animais mortos em algumas de suas criações. Como acontece em todas as suas obras, as imagens projetadas relacionam-se diretamente com os objetos que as projetam. Nesse caso, os animais mortos criam sombras que falam, por meio de belas formas, sobre o fim da vida. Informamos que, é claro, nenhum animal foi ferido durante a produção deste post.

 
Dead Things (2010) faz jus ao nome.

 
Sunset Over Manhattan (2003) é feita com caixas de cigarros e latas velhas com marcas de tiros e, ainda assim, é lindo.

 
Em The Original Sinners (1998) os pecadores são projetados por frutas, como não?

 
Instant Gratification (Gratificação Instantânea, 2001) parece fofo, mas o nome da obra, aliado ao fato de ela ter sido feita com notas de dinheiro, deixa implícita a crítica.

O trabalho de Sue Webster e Tom Noble é baseado em luz e sombra, transformando pilhas de objetos que, a princípio, não querem dizer nada, em imagens cheias de força e significado por meio de projeção. Outra forma incrível de criar arte por meio de luz e sombra é a fotografia, e um dos conceitos mais complexos da técnica justamente diz respeito à exposição à luz durante a captura das imagens. O livro Exposição Perfeita trata desse conceito enganosamente simples, objeto de fascinação por muitos fotógrafos, e que vem sofrendo transformações desde o advento da fotografia digital.

Quer receber todo mês as novidades do Grupo A direto no seu e-mail?




Enviando...

Email Inválido