Sobre livros

Afinal, o e-reader não é um tablet?

1

É um celular? Um smartphone? Um notebook? Não, é o e-reader, o dispositivo que chegou para salvar leitores mais exigentes de telas desconfortáveis. Similar a um tablet – que, assim como outros dispositivos pode fazer as vezes de um leitor de livros digitais -, o e-reader é um aparelho cujo propósito principal é a leitura de livros e periódicos. E, por isso, ele é um pouco diferente de outros equipamentos tecnológicos.

Primeiro, é importante dizer que o e-reader pode até ter o mesmo tamanho de alguns tablets do mercado, mas não é. A principal diferença com relação a um leitor de livros digitais é também a característica que o torna especial para a leitura: grande parte dos produtos hoje no mercado possuem uma tela de tinta eletrônica. Também conhecida como E-Ink, essa tecnologia entrega ao usuário uma experiência mais similar a do papel do que qualquer outra tela.


E-reader, o novo colega inteligente dos livros em papel
[FONTE: The Politic]

Nesse tipo de tela, que também é sensível ao toque, a luz reflete como em uma folha de papel, pois diferente de outros tipos, como as encontradas em tablets e smartphones, as telas da maioria dos e-readers não utiliza luz de fundo, para que a leitura possa ser feita debaixo do sol ou dentro de casa. Outra característica comum encontrada nos e-readers é que suas telas são foscas e não têm reflexo.

Ao longo dos anos, porém, as principais fabricantes de e-book reader foram aprimorando o dispositivo e hoje conseguimos encontrar no mercado versões mais completas que trazem, sim, uma luz para a leitura em ambientes escuros. Essa luz, no entanto, não está ligada diretamente à tela. Ela é direcionada para a superfície da mesma, ao contrário do que acontece nos tablets, que jogam a luz na direção dos olhos e que, por isso, não são os mais indicados.

Hoje, vários desses dispositivos possuem conectividade Wi-Fi e também 3G para facilitar a compra de livros e revistas, assim como os tablets. A bateria, no entanto, segue sendo um diferencial. Nos e-readers, que não possuem câmeras e entradas para fones de ouvido, por exemplo, e ainda por cima trazem uma tela que consome menos energia, as baterias duram por semanas, quase meses.


E-reader são mais portáteis que os livros de bolso, é preciso reconhecer
[FONTE: Revista Galileu]

Outra distinção importante dos e-readers é seu tamanho. A maioria dos aparelhos encontrados no mercado possue entre quatro e sete polegadas para que possam ser carregados com apenas uma mão. Por esse mesmo motivo, eles precisam ser leves: 200 gramas é um peso comum entre os dispositivos encontrados para vender. E, o melhor de tudo, os livros dentro de um e-reader não pesam nada, pelo menos não no mundo real.

E, lembre-se, comprar um e-reader não impede você de comprar livros físicos, mas permite que você decida quais quer ter na prateleira da sua case e quais podem ser adquiridos apenas na versão digital. De qualquer forma, é possível fazer uma estante no ambiente virtual e por lá também expor suas leituras. 😉

You may also like

1 Comment

  1. Tenho um e adoro. Achava que não ia desapegar do livro físico, mas depois de um tempo, gosto tanto que não tenho mais paciência para carregar um volume na bolsa ou nos braços sem a opção de leitura conforme meu momento.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.