Sobre o BlogA
Comprar
Livro

Ciência curiosa

A felicidade está mesmo no ordinário

A sabedoria popular prega que a felicidade está nas pequenas coisas. Pelo jeito, nesse quesito, a ciência está correndo atrás do ditado e somente agora começa a provar que, realmente, as lembranças de momentos corriqueiros são as que mais nos trazem alegria. Uma série de estudos, recentemente publicados no jornal Psychological Science e divulgados pelo PsyBlog, mostra como, via de regra, as memórias com maior potencial de nos trazerem alegria são as que menos valorizamos enquanto as criamos. 


A felicidade se manifesta da cabeça aos pés
[FONTE: Engaged Marriage

Todos se ocupam com fazer fotos de aniversário, de formatura e casamento, mas muitas vezes nem pensamos em registrar o dia a dia, momentos da rotina que passam quase despercebidos na correria da vida diária. No entanto, as pesquisas mostram que fotografias de acontecimentos banais, que não impressionariam seus amigos no Facebook, podem ser as que mais vão nos alegrar no futuro.

Para chegar a essa conclusão, cientistas realizaram um estudo no qual pediram a 135 estudantes que criassem uma cápsula do tempo na qual deveriam salvar para o futuro uma conversa recente, algum registro do último evento social de que tivessem participado, um trecho de um artigo próprio e as três músicas favoritas do momento. Os voluntários também tiveram que imaginar o quanto eles gostariam de reencontrar esses itens anos depois. O resultado: os alunos erraram – e muito – na previsão do efeito que a reabertura da cápsula do tempo teria sobre eles.


Quem já soprou um dente-de-leão sabe que essa é uma das pequenas alegrias da vida
[FONTE: ooh pretty shiny over there

Todos acreditavam que seria interessante reencontrar esses itens do passado alguns meses depois, calculando o quanto seria curioso revê-los. Mas ninguém imaginou a cápsula como fonte de sentimentos de alegria ou felicidade, e foi isso o que aconteceu. Um dos autores do estudo, Ting Zhang, da Faculdade de Negócios de Harvard, ressaltou a surpresa em aprender que não percebemos como eventos ordinários de hoje podem se transformar em lembranças extraordinárias no futuro.

“As pessoas se alegram imensamente em reencontrar uma lista de músicas de meses atrás ou relembrar uma piada que disseram ao vizinho, mesmo que essas coisas não parecessem significativas no momento”, comenta Zhang. O conselho é tirar um tempinho para tirar fotografias mesmo de situações que pareçam sem graça. Mas, claro, sem exagerar! Zhang alerta que também não é interessante gastar tanto tempo preparando a foto e esquecer-se de viver o momento.

A felicidade é mesmo um mistério, e embora ela desempenhe um papel mais que importante em todas as esferas da vida humana, da aprendizagem aos relacionamentos sociais, nós continuamos na busca pela compreensão desse sentimento. Talvez nunca cheguemos a uma só resposta, ou a uma conclusão definitiva, mas, como disse o poeta, a felicidade “tem a vida breve”, então o único caminho possível é aproveitar ao máximo quando a tivermos do nosso lado!


Momentos banais podem ser importantes recordações
[FONTE: Ned Hardy

Quer receber todo mês as novidades do Grupo A direto no seu e-mail?




Enviando...

Email Inválido